Home Editora Livros Notícias Onomástica Distribuidores

Lançamentos

Antropologia
Ciências
Ciências sociais
Cinema e teatro
Comunicação
Dança
Direito
Educação
Filosofia
Geografia
História
Infantis e juvenis
Literatura

Música
Pedagogia
Política
Urbanismo

Editora Circuito

Todos
Lista de preços

 

 
Vida e grafias: narrativas antropológicas entre biografia e etnografia

Suely Kofes.(org.)
Daniela Manica
.(org.)
.
.
.

Lamparina
ISBN 978 85 8316 031 1Cód. barras 9788583160311
Brochura12.6×21cm412p.430g2015..
Coed. FAPERJ
R$ 40.00

Esta coletânea pretende explorar a multiplicidade de aspectos que envolvem os modos como a antropologia tem pensado a escrita (grafia), tendo como pontos de convergência a escrita etnográfica e biográfica. A reunião dos diversos artigos e temáticas oferece um panorama instigante para se pensar criticamente a questão biográfica e os pressupostos que a sustentam: a individualidade, o self, o sujeito, o indivíduo, a coerência da vida, os percursos percorridos. Ao propor um conjunto heterogêneo de possibilidades de apreensão narrativa (daí a questão gráfica) sobre a vida, os textos indicam os limites da distinção (muitas vezes conceitual) entre “indivíduo” e “sociedade” e sugerem o potencial de se apropriar da pretensão biográfica para explicitar conexões diversas. Ou seja, os artigos contam como o estilo antropológico de constituir narrativas (a etnografia) através de um enfoque biográfico e de meios distintos, combinados e não dicotômicos (escrita e imagens), permite falar da vida levando-se em conta a sua complexidade e extensão. Isso explica a diversidade de temáticas que compõe a coletânea: música, skate, carreiras artísticas e científicas, processos judiciários, neonazismo, literatura, foto(bio)grafias, cidades e lugares.
 
  Sumário

Prefácio
Skatografias – o caso do “pico”
Pedro Peixoto Ferreira

Apresentação
Suely Kofes & Daniela Manica

Narrativas biográficas: que tipo de antropologia isso pode ser?
Suely Kofes

Autobiografias, memoriais e a narrativa biográfica de um cientista
Daniela Manica

“Ninguém canta para ninguém”: papel da canção, canção de papel
Carolina Cantarino Rodrigues

Etnografia, cartografia e devir: potencialidades da escritura nas pesquisas antropológicas contemporâneas
Rafael Estrada Mejía

Imbricamentos entre etnografia e biografia: um estudo sobre Roy Wagner
Iracema Dulley

Escrita de si, escrita do mundo: Michel Leiris e a experiência sagrada
Júlia Vilaça Goyatá

Para além das vidas de Nimuendaju: constituição de narrativas da história da antropologia
Christiano Key Tambascia

Entre negócios, ócios e domingos: a ego-história de Boris Fausto
Wilton C L Silva

Biografias judiciárias: analisando laudos psiquiátricos de autos de processos penais
Maria Luisa Scaramella

Messianismo no neonazismo estadunidense: a autobiografia de David Lane
Adriana Dias

Por uma etnografia dos artistas populares: reflexões sobre personas midiáticas e biografias de celebridades
Raphael Bispo

Edifício Master: o documentário e a experiência de vida na metrópole
Ana Lúcia Modesto

Não mais somente na rua: autobiografia e relatos biográficos de Esmeralda Ortiz como exercício etnográfico em São Paulo
Hugo Ciavatta

Histórias e narrativas envolvendo a ocupação Mauá
Stella Zagatto Paterniani

Antropologias nas cidades em grafias literárias
Cristina Maria da Silva

Entre relatos de vida, fotografias e cartografias: uma etnografia em diferentes proximidades
Cristiane Santos Souza

Fotografia como resíduo biográfico: memória familiar, cultura urbana e sociabilidade (1920–1960)
Alexandre Araujo Bispo

Posfácio
Imagem, sopro de um abismo narrativo
Fabiana Bruno