Home Editora Livros Notícias Onomástica Distribuidores

Lançamentos

Antropologia
Ciências
Ciências sociais
Cinema e teatro
Comunicação
Dança
Direito
Educação
Filosofia
Geografia
História
Infantis e juvenis
Literatura

Música
Pedagogia
Política
Urbanismo

Editora Circuito

Todos
Lista de preços

 

 
A consciência do zero: antologia de infernos diversos (1978-2003)

Frederico Barbosa.
.
.
.
.

Lamparina
ISBN 85-98271-19-5Cód. barras 9798598271193
Brochura16×23cm104p.180g2004..
R$ 25.00

Este livro, segunda antologia poética de Frederico Barbosa, celebra os 25 anos de escritos poéticos de um dos mais relevantes poetas contemporâneos brasileiros. Neste livro, o poeta escancara o lado mais sombrio, angustiado e contundente da sua poesia, ao contrário de sua primeira antologia, Cantar de amor entre os escombros (Landy, 2002), que apresenta poemas sobre o amor e a sexualidade.

Despontam no livro momentos com o poema “Sem nem”, comentado por Augusto de Campos: “Mas é em especial no poema ‘Sem nem’ que Frederico se coloca o dilema crucial do pós-fazer, a justificar a farpa ambígua do título geral: Nada feito nada. Depois da poesia entre parênteses, a poesia entre paredes. Essa dramatização da negatividade, esse pôr tudo em questão, vazado em linguagem tão sucinta e tão radical, me agrada muito. É verdade que, negando tanto e tão totalmente, o poeta arrisca-se a uma responsabilidade quase insuportável, que, levada às últimas consequências, poderia situá-lo no difícil limite entre o falar e o calar. Mas este é o supremo desafio dos poetas”.

O poema “Louco no oco sem beiras”, de 2001, tem a parte central integralmente reproduzida em A consciência do zero. Nele, o Frederico Barbosa faz uma “anatomia da depressão”, em um único poema longo, que se divide em pequenas e densas cápsulas poéticas.

Para o crítico literário Manuel da Costa Pinto, Frederico Barbosa é “possivelmente o poeta que mais explicitamente assume sua dívida para com o concretismo. […] Ao lado de Augusto de Campos, é hoje o poeta que melhor navega pelas águas do experimentalismo”.

 
  Sumário

Telegramas na água: algumas palavras sobre a poesia de Frederico Barbosa

Fabiano Calixto

A consciência do zero

Dead end

Rarefato

F for fake

Batam as latas

Carta a Kirilov

Die Bewegung

Labyrintho difficultoso

Noite branca

Sem você

Como

Um poema para si

BR-116

Sem nem

Corpo e sombra

Louco no oco sem beiras

Quando chove

Ditadura da popularidade

Pior do que a morte

Certa biblioteca pessoal 1978

Certa biblioteca pessoal 1991

Desexistir

No restaurante

O horror pós-tudo

Luiz Costa Lima

Frederico Barbosa em 3 x 4